domingo, 28 de outubro de 2012

O silêncio nas ruas


Em que transformaram as nossas eleições ?

Será que a justiça eleitoral na sua correta ânsia de combater a corrupção eleitoral não exagerou na dosimetria do remédio ?

Cadê o sentimento, a animação, o orgulho a cidadania que se mostrava estampada no rosto das pessoas, nas suas vestimentas, nos adereços e refletiam nas ruas a alegria de cada ideal defendido.

Sinto que é necessário repensar a "dose do remédio" e devolver a população o direito de ser feliz, de ter voz, de transmitir o seu pensamento, de expor seus ideais de forma clara objetiva e sem restrições.

A censura que tanto combatemos traveste-se hoje de uma legislação rígida e interpretações jurídicas ainda mais duras que cerceiam ao cidadão a simples utilização de um "boné" e uma "camisa" que identifiquem aquele ou aquela a quem a sua liberdade de expressão e o seu livre arbítrio determinam o voto.

Visitei neste 28 de outubro, segundo turno das eleições municipais, quatro bairros (bancários, bessa, manaira e tambaú) e cinco locais de votação,  levando familiares a exercerem seu sagrado direito de cidadania e em todos eles a apatia tomava conta das ruas num dia cívico tão importante, onde escolheremos o gestor do nosso município pelos próximos quatro anos.

Concordo que é necessário combater a corrupção eleitoral, mas privar o cidadão e a cidadã da livre expressão, é no minimo desempodeirar a povo e calar o clamor daqueles que durante anos lutaram pelo direito de votar, de ser votado e de promover livremente campanhas politicas.

Em João Pessoa, vença 13 ou 45, mas que vença a vontade do povo, a democracia e principalmente o livre arbítrio de cada um, e que nossos legisladores repensem e debatam nos próximos anos esta legislação eleitoral para devolver ao povo o sagrado direito de com a sabedoria popular fazer "politica". 

"A Alegria que eu tenho, é a alegria de Cristo em mim".


0 comentários:

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial